Visitas on line

Tradutor:

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Mudar é se desacostumar...






           Retomando  depois de uma  longa ausência.
        Mudar de casa significa  muito mais que transferir todas as tralhas inúteis que você acumulou durante a vida. Significa, deixar ou levar, selecionar,escolher, reavaliar,descartar,se adaptar, aceitar e começar a acostumar novamente.
    Não existem adjetivos, substantivos ou verbos que consigam expressar todo os sentimentos envolvem uma mudança.Quando estamos vasculhando nossos pertences, todo passado se torna presente. A vida começa a passar diante de nossos olhos, cada coisa é um fragmento concreto de momentos vividos. Isso  comprei naquela viagem, aquilo eu ganhei de presente, isso é inútil,  mas ainda está aqui! Roupas que nunca usamos, xícaras que guardamos, livros que acumulamos, mas que continuam guardados. O que fazer com tantos tesouros inúteis? Meu Deus, que loucura!Tudo estava tão certinho, cristalizado,acomodado  nos seus devidos lugares.....!E agora.. ?!
Dai vem a mente um fragmento de um texto de Marina Colasanti, lido há muito, e tão real.    

"Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. (...)
Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida.Que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde de si mesma." 

Para não perder a vida, o  jeito é se desacostumar  para  começar a acostumar novamente !
É claro, até a próxima mudança, se houver!!!. 







domingo, 11 de setembro de 2011

Apenas um alerta!!


Há algum tempo recebi um e-mail   sobre bolsas. Fiquei pasmada diante da minha ignorância,  então resolvi colocá-lo aqui como um alerta. 
Mesmo antes de  receber este e-mail , e que por sinal é muito útil e bonito, porque vem todo ilustrado com imagens de bolsas, já tinha pensado em escrever sobre banheiros  da cidade, inclusive de São Paulo. É comum frequentarmos Shoppings, restaurantes, padarias e outros estabelecimentos comerciai e precisar usar o banheiro.  Já entrei em cada um que dá nojo, pensar em um cabide para pendurar bolsas seria demais.A maioria nunca tem o bendito cabide , quando tem está quebrado.Cabides para bolsa em um banheiro não é um detalhe mas sim uma necessidade,se pensarmos na comprovação da pesquisa abaixo.     
                                                        

"Para descobrir se bolsas portam uma grande quantidade de bactérias, o Nelson Laboratories, em Salt Lake City,resolveu testá-las.
Acontece que bolsas são tão surpreendentemente sujas, que mesmo os microbiologistas que testaram ficaram chocados.
A microbiologista Amy Karen, do Nelson Labs, diz que quase todas as bolsas que foram testadas não só apresentaram níveis elevados em bactérias, mas ricos em espécies de bactérias nocivas. Pseudomonas que podem causar infecções oculares, Aurous Staphylococcus que podem provocar infecções cutâneas graves e as salmonelas E-coli encontradas nas bolsas podem causar doenças sérias. 
Em uma amostragem quatro das cinco bolsas testou positivo para as salmonelas, e isso não é o pior. “Há coliformes fecais nas bolsas”, diz Amy.




Bolsas de couro ou vinil tendem a ser mais limpas do que bolsas de pano, e o estilo de vida parece desempenhar um papel. As pessoas com filhos tendem a ter bolsas mais sujas do que aquelas que não os têm. Com uma exceção, a bolsa de uma mulher solteira que freqüentava boates tinha uma das piores contaminações de todas. “Algum tipo de fezes, ou, eventualmente, vômito”, diz Amy.
Assim, a moral desta história é que sua bolsa não vai matá-la, mas ela tem o potencial de fazer você ficar muito doente se você a mantiver em lugares onde você come.
Use ganchos para pendurar sua bolsa em casa e banheiros, e não a coloque em sua mesa, uma mesa de restaurante, ou em sua bancada de cozinha. Especialistas dizem que você deve pensar em sua bolsa da mesma forma que um par de sapatos. “Se você pensar em colocar um par de sapatos em sua bancada, que é a mesma coisa que você está fazendo quando você colocou sua bolsa sobre a bancada.”
Sua bolsa foi onde as pessoas antes andaram, sentaram, espirraram, tossiram, cuspiram, urinaram, defecaram, etc! Você realmente quer trazer tudo isso para casa com você?
O microbiologista no Nelson Lab disse ainda que a limpeza de uma bolsa vai ajudar. Lave as bolsas de pano e use limpa-couro para limpar o fundo de bolsas de couro."

Aqui fica um alerta. Eu jamais colocaria um par de sapatos sobre a minha mesa de jantar,mas já coloquei muitas vezes minha bolsa.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Conceitos poéticos!!!!



             O  que é a poesia?
             uma ilha
           cercada
           de palavras 
           por todos 
           os lados.

             Que é o poeta?
            um homem
que trabalha o poema
 com o suor do seu rosto
             Um homem
             que tem fome
como qualquer outro
             homem.
                               (Cassiano Ricardo)





   

domingo, 21 de agosto de 2011

Sergio Cortella, eu não o conhecia...(Nós não nascemos prontos)


                    Uma amiga me sugeriu que assistisse os vídeos dele no Yotube. Como eu sou curiosa, não há o que não vá pesquisar para saber se vale a pena,adorei, acabei assistindo tudo. Daí  resolvi  compatilhar com vocês esta minha nova descoberta. Vale a pena dar uma olhadinha. Ele aborda os problemas da sociedade de hoje, explana a visão de mundo do jovem de um modo geral, fala das mudanças que ocorreram na família por causa das novas tecnologias, inclusive o que ganhamos e perdemos. Parece-me  que perdemos mais do que ganhamos,uma vez que nossas perdas estão na construção dos  valores da família e da sociedade. Tudo o que ele aborda nós  sentimos, mas não conseguimos verbalizar com tanta proficiência .As novas tecnologias chegaram, estão nas nossas casas para nos ajudar, e não para nos escravizar. Se não temos consciência do quanto interferem na construção dos valores das nossas famílias nos   tornamos escravos delas.Sabendo usá-las se tornam nossas parceiras para uma vida mais fácil, produtiva, mas com os valores reais da família e da sociedade. A platéia ri, porque ele é muito engraçado, mas a reflexão fica. Como desfrutar das novas tecnologias sem perder o que há de mais importante para minha família? Por que o jovem é assim?O que fazer?
         Eu respondo, o jovem  ou a sociedade são assim, porque nós  colaboramos para que  se tornassem assim. Dá para mudar? É claro! Se quisermos!Sempre é tempo para construir algo novo, ou melhorar o que está incomodando ou destruindo. 

(obs: quem quiser ver o resto é só acessar o yotube) 
                                                                          

sábado, 6 de agosto de 2011

Outro dia eu conto mais ...


       Essas são algumas histórias sobre os profissionais da construção,que a minha amiga,Roseli me enviou. Só tive o trabalho de postar.Sem querer ofender, parece-me que tudo continua na mesma,o profissional vai aprendendo com os próprios erros e quem o contrata  que se cuide.


                                            



       “Entre construção, reforma, ampliação, conserto e conserto,ampliação e reforma ... já se foram pelo menos uns 45 anos de experiencias com os ditos profissionais da construção.

             A primeira parte da história é comum na rua em que moro em Santo André.

            Meu pai era Torneiro Mecânico, comprou um terreno na periferia de Santo André parcelado em centenas de vezes.
             Entre uma noite de trabalho, um dia de folga, crianças para serem criadas e uma mulher de assistente, meu pai iniciou o projeto da minha casa, num caderno escolar – ali ele fez a planta da casa – a distribuição dos cômodos, o estilo do telhado, etc. Acho isso interessante porque ele não era pedreiro, era Torneiro Mecânico e mesmo assim, construiu uma casa.
            Do alicerce até a parte elétrica foi tudo feito por ele, depois de uma 3ª turma na fábrica (a turma que ia das 22:00  às  6:00 h) ele construía até umas 14:00 h depois dormia, e ia trabalhar ....isso por alguns anos. 
            Lembro-me dos momentos críticos, quando os canos não se encaixavam, os tijolos não ficavam no prumo, etc ... quase sempre por culpa da minha mãe!!! rsrsrs (ela era a ajudante dele). E os momentos festivos, quando vizinhos, tios se reuniam para finalizar um telhado ... e rolava um almoço especial.
            Na minha casa os primeiros 10 anos, meu pai foi o arquiteto, pedreiro, encanador, eletricista, etc....   Constato hoje, que a parte feita por ele, de modo amador, nunca apresentou problemas.
               Depois de muitos anos, daí fui obrigada a cuidar da casa, porque ele já não se encontrava mais conosco. Então .... conheci pedreiros, encanadores, eletricistas,os  ditos profissionais  da construção  civil. Com eles vieram  as soluções e os problemas, que foram muitos.Essa é  a parte que interessa:

              Houve um tempo que essas atividades eram feitas por uma única pessoa – um conhecido  que tinha todos esses saberes - e que trabalhava na fábrica e nas horas de folga, ganhava um extra , colocando um azulejo, um piso, etc. Esses profissionais , amadores, em geral, não criavam problemas e quase sempre esbarravam na perfeição.

               Depois vieram os ditos profissionais que deixam a gente com um pé atrás.
          Já tive um em casa, que por se dizer  profissional, ele não se deslocava do local de serviço para ir até o depósito de construção, por nada nesse mundo, nem do outro.Ele queria por exemplo,um TE esquerdo com rosca direita.Até conseguir exatamente o que ele queria era pelo menos umas 3 idas ao depósito ( que fica a uma esquina de casa). A minha mãe, passava o dia , num vai e vem louco, até o depósito, para atender os pedidos do profissional. O último dia de serviço dele em casa foi de grande festa e descanso!!!!

          Também contratei um  pintor, que embora cobrando como profissional, fazia umas lambanças igual a uma criança brincando na escolinha. Ele por exemplo, não aceitava a máxima, que depois que você passa a tinta numa parede é imperioso esperar a tinta secar para passar uma segunda mão de tinta ... resultado: gastei um oceano de tinta para as paredes ficarem todas manchadas ... Outra grande alegria, quando dei por concluído o serviço dele.
         Agora, esse é um tipo de profissional perigoso, mas muito comum! Pedreiro e álcool – combinação explosiva! Precisei de um  para fazer uma laje na sala, o dito cujo era movido a álcool de padaria (cachaça), quando ele não estava de tanque cheio era uma maravilha, o trabalho saia  impecável , mas quando ele enchia o tanque, ele não vinha trabalhar uns 3 dias ... uma loucura...Esse não concluiu o serviço!

       Também tive experiencias com aqueles  que conseguem, ou pensam conseguir, trabalhar em dois ou três lugares ao mesmo tempo. Contratei um pintor nessa modalidade. Ele trabalhava uns 2 dias na semana em casa, depois vinha um dia e ficava uma 3 horas, e ia embora ... O serviço rende, dor de cabeça, ...!O  trabalho para 10 dias foi concluído em  40 .

        Entre essas e outras hoje, me encontro às voltas com um tipo interessante, que podemos denominá-lo por pedreiro palpiteiro....rsrsrsrsrs! O projeto é um banheiro de serviço,quis uma parede com um revestimento diferente, um detalhe, que claro tem que atender ao meu gosto ... o pedreiro resolveu que o gosto dele era mais importante ...complicado, ter que usar de muita educação e jeito para fazê-lo entender que o banheiro era meu e ponto, faço-o como quiser!Depois de tantas, ainda continuo reformando, a casa, é claro! Porque eles continuam os mesmos". 

( os créditos pertencem  à Roseli Correa, autora da história) 


sexta-feira, 29 de julho de 2011

Outro dia eu conto mais ...

          


           Todo mundo tem uma história para contar sobre os profissionais da construção.Eu por exemplo tenho uma infinidade delas, mas esta em especial aconteceu com minhas irmãs e fê-las pagar o maior mico.Haja paciência com essa "crasse de profissionais"Quando as histórias não provocam riso elas nos dão gana de matar.
          A tarde quando chegaram do trabalho encontraram em casa um encanador que havia sido chamado as pressas, pela minha mãe, porque a descarga do banheiro havia quebrado. No banheiro tinha um monte de terra que parecia que o homem estava fazendo a maior reforma.Daí ele pediu para elas irem até o depósito comprar uma peça que ele precisava. Como elas não sabiam o que era, pediram a ele que escrevesse em um papel. Lá foram as duas para o depósito de materiais de construção. 
        Primeiro pediram para o vendedor o que estava escrito no papel. Como o vendedor não entendia e elas não conseguiam explicar, as pessoas ao redor começaram a se meter na conversa e todo mundo queria entender o que era aquilo.Num dado momento alguém descobriu que o "pitador " ,que estava escrito no papel era adaptador.O encanador precisava de um adaptador. Após o mistério revelado, a compra feita, voltaram para casa e entregaram para o encanador o tão famoso pitador que ele havia pedido.Todo feliz, conseguiu depois de muita sujeira e bagunça consertar a descarga.
          Os profissionais desta área são de doer.Valha-me Deus precisar deles!!.

 

terça-feira, 26 de julho de 2011

SERVISTE HOJE?


Conheci os poemas de Gabriela Mistral, quando tive que fazer uma pesquisa para a faculdade,desde então passei admirá-la. Hoje por sinal, revendo meus papéis encontrei um um poema dela, que por sinal é um dos que mais gosto, então resolvi postá-lo.
Gabriela Mistral é uma poetisa chilena que ganhou o Prêmio Nobel  de literatura em 1945. Sua obra é lindíssima, caso queiram saber mais  cliquem aqui:



O PRAZER DE SERVIR
 
Toda natureza é um desejo de serviço.
Serve a nuvem, serve o vento, serve o sulco.
Onde houver uma árvore para plantar, planta-a tu.
Onde houver um erro para corrigir, corrige-o tu.
Onde houver uma tarefa que todos recusem, aceita-a tu.

Sê quem tira:
a pedra do caminho,
o ódio dos corações
e as dificuldades dos problemas.

Há a alegria de ser sincero e de ser justo.
Há, porém, mais do que isso,
a imensa alegria de servir.

Como seria triste o mundo
se tudo já estivesse feito,
se não houvesse uma roseira para plantar,
uma iniciativa para lutar!

Não te seduzam as obras fáceis.
É belo fazer tudo que os outros se recusam a executar.
Não cometas, porém, o erro
de pensar que só tem merecimento executar as grandes obras.
Há pequenos préstimos que são bons serviços:
enfeitar uma mesa.
Arrumar uns livros.
Pentear uma criança.

Aquele é quem critica,
este é quem destrói;
sê tu quem serve.

Servir não é próprio dos seres inferiores:
D
eus, que nos dá fruto e luz, serve.
Poderia chamar-se: O Servidor.
E tem os Seus olhos fixos nas nossas mãos
e pergunta-nos todos os dias:
SERVISTE HOJE?


quinta-feira, 21 de julho de 2011

Barulho X Capacidade intelectual




           Existem situações que me fazem pensar que as pessoas  perderam completamente a sensibilidade, se é que algum dia tiveram.Quando se perde a sensibilidade, junto vai a própria inteligência para  refletir sobre os fatos.
         Ao observar a compulsão que muitos têm para falar e  fazer barulhos, dá o que pensar. Hoje em dia parece que ninguém mais  pára para ouvir, todos falam ao mesmo tempo se atropelando.Num bate papo que deveria ser prazeroso  fica um vazio que não acrescenta nada, além  do estresse. Dentre as situações  que vivenciamos as mais intrigantes são as festas familiares porque, geralmente, saímos delas esgotados. O som sempre está no último volume, ninguém consegue ouvir ninguém. As maiores vítimas são os bebês e  os idosos, coitados! O que era prazer, vira um tormento. A dona da casa nunca se toca que o som  ultrapassou os limites do tolerável.É de doer!
             Nas ruas, nas  lojas inclusive, a situação  é  pior, o som no último volume impede qualquer cristão de  ouvir qualquer coisa, inclusive o que o vendedor fala. E quando é loja para jovem, aí  loucura total.  Salve-se quem puder! Eu nem ouso entrar ali, a  não ser que queira enlouquecer!
           Como se não bastasse todo barulho, agora  a nova moda que pegou e vai continuar firme até que alguém dê um basta,são as  pessoas nos ônibus com o celular no último volume, e você é obrigado a ouvir aquelas porcarias de mau gosto. Meu Deus! Isso é demais! A gente olha para a cara do meliante, dá vontade de pegar ambos, o celular e ele, jogar  pela janela. 
           Partindo do princípio  que pessoas barulhentas não gostam de estar consigo mesmas,  e que essa foi a forma que encontraram para espantar os problemas que a atormentam, e  não pensar mais neles, ou encontrar soluções para eles,  significa também que são pouco inteligentes. 
         Estar em(no) silêncio é estar consigo, é aprender a se aceitar, raciocinar, solucionar, o que se estende a tudo na vida. Quem se respeita é natural que respeito o outro, o que é uma atitude inteligente.Portanto o que vem a calhar aqui e que ilustra muito bem o texto, é um pensamento  Shopenhauer usado  minha amiga Roseli Correa, para definir classes barulhentas, ou pessoas barulhentas: 

“  Há muito sustento a opinião de que a capacidade do ser humano de não se importar com o barulho é inversamente proporcional a sua capacidade intelectual...
Aquele que costuma bater portas, em vez de fechá-las naturalmente ... não só é mal educado como também vulgar e de mentalidade tacanha ...
Seremos razoavelmente civilizados quando ... as pessoas não tiverem mais o direito de perturbar a tranqüilidade de um ser pensante ... com seus assobios, gritarias, algazarras, urros e outros tipos de ruídos”

         Desculpem-me os barulhentos, mas  analisando determinadas situações , penso que Shopenhaur tinha toda razão.  É só dar uma olhadinha a sua volta,  analisar e concluir! É claro! Se não tiver muito barulho e você conseguir ouvir a voz próprio  do seu pensamento.

                                                     


sábado, 25 de junho de 2011

Mafalda para todos...

           Adoro Mafalda por ser  inteligente, questionadora,revoltada,moderna, politizada etc. Não me canso em  lê-la  e rio cada vez que a leio como se fosse a primeira vez.
         Através de suas falas entendemos todo o contexto político  vivenciado pelos argentinos na época da Ditadura. Mafalda não deixa barato, manda ver, critica tudo e todos.
           Na semana passada fiquei surpresa ao perceber que os adolescentes  não a conhecem  muito menos a entendem. Percebi isso quando usei  uma das tirinhas dela em uma prova , e um aluno me perguntou:  - O que é Mafalda? Fiquei com vontade de responder- é um bicho em extinção porque pensa e critica. Mas não respondi isso. O mais interessante foi que ele perguntou - o que é Mafalda, e não, quem é Mafalda.  Foi por causa disso que resolvi colocar algumas tirinhas dela aqui.
Caso não consigam ler é só clicar em cima da imagem que ela aumenta.
Se quiserem mais diversão é só acessar:http://clubedamafalda.blogspot.com/2006

 Veja o preconceito estampado aqui na atitude da Susanita. Que crítica hein!
     Bem atual ! Limpeza também no Brasil.Afinal! somos bem governados?! Que tal limpeza na Educação também!!
 E essa, o que pensam?!!!Dá pra questionar? 
 Mentiras que são verdades para alguns!!!
   Que pena que a maioria está acordada, pois se estivesse dormindo o mundo não estaria como está!!!!

domingo, 12 de junho de 2011

HOMENAGEM AO DIA DOS NAMORADOS


Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto.

Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las.

Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos. Que posso usar meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando.

Eu aprendi... Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida. Que por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho.

Aprendi... Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência. Mas, aprendi também, que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei.

Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles. Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem.

Aprendi que perdoar exige muita prática. Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso.

Aprendi... Que nos momentos mais difíceis a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas.

Aprendi que posso ficar furioso, tenho direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel. Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso.

Eu aprendi... que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, que eu tenho que me acostumar com isso. Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro.

Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.
Eu aprendi... Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto.

Aprendi que numa briga eu preciso escolher de que lado estou, mesmo quando não quero me envolver. Que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem.

Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida.

Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes.
Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio.

Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério. E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos.

Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre.

Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito.

Para  homenagear os DIA DOS NAMORADOS compartilho com vocês este poema  de Charles Chaplin e tomo a liberdade de concluir dizendo: QUEM AMA APRENDEU TUDO ISSO E MUITO MAIS.




sábado, 4 de junho de 2011

Olá Pessoal!

Ando visitando alguns blogs  que sigo, mas não estou conseguindo  postar comentários.
Isto vale para: Força de expressão
                       Café com Bolo
                       Coluna de ideias
                       Flores e livros 
                       Trelelê da Ana 
                       Uma casa organizada
                       Palavra nossa de cada dia.
                       
O blog me pede o open id e depois diz que não é válido.Este é o motivo pelos quais muita gente não recebe meus comentário. Espero que o problema seja solucionado.

Bjs Lais

sexta-feira, 3 de junho de 2011

ANOMIA, A FASE DO BRASILEIRO



ANOMIA palavrinha curta mas com amplo significado.
O “A”= negação/ NOMIA= regra , lei.
          Segundo Piaget anomia é fase pré-moral pela qual a criança passa aproximadamente dos 4 aos 5 anos de idade,coincidindo com o egocentrismo. Depois,gradualmente ela vai entrando na fase da moral HETERÔNOMA e caminha para a fase AUTÔNOMA.
        Todas essas explicações só para eu poder fazer uma analogia curiosa entre as fases que a criança vivencia e o comportamento do brasileiro na sociedade,ambas tão semelhantes.
       A maioria dos brasileiros nem conhece essas fases e muito menos sabe que se encontra em uma delas.O que é pior,não sabem que ainda estão na primeira fase do comportamento infantil, descrito por Piaget.
        Nesta primeira fase a criança quer ser atendida em suas necessidades básicas e não se importa com nada a não ser consigo mesma. Assim é o brasileiro! No momento  que deveria ser adulto se porta como criança, quer  suas necessidades atendidas não se importando com nada.Exemplos temos aos montes em todos os lugares:no trânsito, na rua, na escola, no supermercado, no cinema, no condomínio, no parque etc. São as suas necessidades imediatas  que determinam as normas da sua conduta. Se o carro está sujo, joga o lixo na rua, e nem se importa com as conseqüências. Se quer um lugar no ônibus, passa na frente, empurra todo mundo, pisoteia mas chega lá, e que se dane o resto. Se não tem radar, ultrapassa os limites de velocidade mesmo que  coloque a vida de algum transeunte em risco.Se não tiver câmera no farol, passa no sinal vermelho e nem olha para trás. Se o chefe não está, chega atrasado e nem está aí. Se a vaga do idoso não tem carro, coloca seu carro lá e ainda sai rindo.Se o entulho em casa incomoda, livra-se dele na calada da noite, despejando-o em alguma calçada, e a Prefeitura que se vire para limpar. O sofá estragou, coloca-o no meio da praça ou joga no rio. Estaciona em lugar proibido, mesmo sabendo que põe a vida das pessoas em risco. Ultrapassa, mesmo sendo proibido.Fura fila, passa fora da faixa de pedestre correndo o risco de ser atropelado, e assim por diante. O importante mesmo, são as suas necessidades imediatas que devem ser satisfeitas.


         Passar da fase da ANOMIA para a HETERÔNOMA, essa é a grande questão! Alguns até conseguem.Esses são os que hoje já aprenderam a obedecer porque são multados, punidos, presos etc.   A fase heterônoma não é ideal, mas já é alguma coisa. Nela os deveres são vistos como externos,impostos por meios coercitivos e  não como obrigações elaboradas pela consciência.Essa fase é melhor que a primeira, mesmo não sendo a ideal já é algo bom.Assim mesmo há parcela da sociedade que nem mesmo sofrendo punições, obedece.
        Agora a terceira fase, essa é a ideal, a suprema, a completa. Mas quando vamos chegar lá? Nem Deus sabe?!. Parece utopia pensar nela como objetivo para a nossa sociedade.
        A fase AUTÔNOMA é a que o brasileiro já deveria estar há muito, mas não está,por diversos fatores, inclusive o educacional.
       Nesta fase o indivíduo já adquiriu a consciência moral.Os deveres são cumpridos com consciência de sua necessidade e significação. O indivíduo possui os princípios éticos e morais.Na ausência da autoridade continua o mesmo tendo consciência da responsabilidade de seus atos. A responsabilidade pelos atos é proporcional à intenção e não apenas pela conseqüência do ato. Mas não é o que acontece, aí está o resultado. Brasileiros estagnados na primeira fase, a mais infantil e primária de todas.
         Ser criança é maravilhoso, mas permanecer criança a vida toda é trágico.É neste estágio que o brasileiro se encontra,corpo de adulto e mente infantil.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Depois de longa ausência:

Bom dia, boa tarde, boa noite!
Cumprimente as pessoas.
Isso se chama amizade!
Deseje a cada um o melhor.
Isso se chama sinceridade!
Programe o seu dia, a sua semana.
Isso se chama ação!
Acredite que tudo dará certo.
Isso se chama fé!
Faça tudo com alegria.
Isso se chama entusiasmo!
Dê o melhor de si.
Isso se chama perfeição!
Ajude a quem precisa.
Isso se chama doação!
Compreenda que nem todos são como você.
Isso se chama tolerância!
Receba as bênçãos com gratidão.
Isso se chama humildade!



Boa tarde!
Por quê?
Boa Noite!
Por quê?
O texto já respondeu!!!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Apenas para refletir



Dois Sapos


Vivia um sapo – no fundo dum poço.
Lá nascera, lá vivera, de lá nunca saíra – e lá esperava morrer.
0 seu horizonte era de um metro e meio de largura – o diâmetro do poço.
A profundidade de sua vida era de três palmos – como as águas do poço.
Para além da borda do poço – nada mais existia para ele...
Certo dia, tombou no fundo do poço – um sapo de outras regiões...
Vinha de longe, de muito longe – das praias do mar...
Com secreto rancor, viu o primeiro invadido pelo segundo o seu espaço vital.
Mas, como o segundo era mais forte, resolveu o primeiro não  guerrear – e limitar-se a defesa passiva...
Depois de três dias de silêncio recíproco, travou-se entre os dois batráquios o diálogo seguinte:
– Donde vens tu, estranho invasor?
– Das praias do mar, ignoto ermitão.
– Que coisa é o mar?
– 0 mar?... o mar é uma grande planície d'água.
– Tão grande como esta pedra em que pousam minhas pernas gentis?
– Muito maior.
– Tão grande como esta água que reflete o meu corpo esbelto?
– Maior, muitíssimo maior.
– Tão grande como este poço, minha casa.
– Mil vezes maior. Milhares de poços destes caberiam no mar que eu vi. 0 mar é tão grande que sempre começa lá onde acaba. É tão grande que todo o céu cabe nele, e ainda sobra mar. Todos os sapos do mundo, pulando a vida inteira, não chegariam ao outro lado tão grande é o mar a cuja margem nasci e vivi.
– Safa-te daqui, mentiroso! – exclamou o batráquio do poço. – Coisa maior que este poço não pode haver! mais água que esta água, é mentira!...
Desde então viviam os dois em pé de guerra, no fundo do poço.
Não diz a história se algum deles, super-sapo, venceu nessa luta feroz...
Nem diz se um deles, batráquio genial, convenceu o outro da verdade das suas idéias...
Consta apenas que, desde esse tempo, vivem no mundo seres que só crêem em si mesmos...
Seres que sabem tudo o que os outros ignoram...
Seres que tacham de loucos aos que afirmam o que eles não compreendem...
Seres de tão vasto saber que consideram desdouro aprender...
Não fales, meu amigo, em mares – a quem mares não viu!
Deixa viver no poço – quem no poço nasceu!
Horizonte de metro e meio, água de três palmos de fundo, pedra de meio palmo – que mais quer o batráquio dum poço?
Deixa ao ignorante a sua feliz ignorância!
Não fales em mares a quem para um poço nasceu!
Cada qual com seu igual...

                                         HUBERTO ROHDEN

sábado, 2 de abril de 2011

A pedido da Ana do Trelelê.

A Ana do Trelelê http://treleledaana.blogspot.com/postou um texto bonito sobre o idoso:"Mensagem de um idoso",e eu teci um comentário dizendo que tinha vontade também de postar um da Cecília Meireles, sobre o mesmo tema.Então ela me escreveu e pediu que postasse pois  gostaria de lê-lo.
Ana, aqui está o texto, eu particularmente acho lindo.
Cecília Meireles é magníficamente  lirica, aborda a passagem do tempo refletido no rosto e na alma, de maneira  filosófica e simples. Descreve o rosto,  o olhar , as mãos,o coração(sentimentos)  e por último deixa a interrogação "em que espelho ficou perdida a minha face?
 Quantos de nós já não se reconhece mais?!E quantos demoram para constatar  e aceitar as mudanças ocorridas?! Cecília toca fundo a alma  da gente,mostra um tema  verdadeiro e inevitável.Só, que em sua poesia paira um ar de melancolia, enquanto que no texto da Ana  paira a gratidão pelos anos e as experiências vividas. Os dois são válidos, porque todos somos diferentes e vemos o mundo sob um determinado prisma.
Ana espero que tenha gostado!.


Retrato”
Cecília Meireles

Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo
Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- em que espelho ficou perdida
a minha face?

sábado, 19 de março de 2011

Quando o corpo fala...



Este texto estava  colocado na porta de um consultório terapêutico,e você pode gostar tanto quanto eu gostei.
Preste atenção à vida porque ela lhe diz tudo, é claro, para quem tem olhos de ver e ouvido de ouvir.


"O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
O coração enfarta quando chega a ingratidão.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade. "

sexta-feira, 4 de março de 2011

Compartilhando e-mails inteligentes


Os e-mails correm pela internet e muitas vezes não damos crédito ao autor por não saber quem é. Este que recebi é  tão bonito e inteligente que resolvi compartilhar com vocês .Espero que gostem.


Marcas de Batom no Banheiro...


     Numa escola pública estava ocorrendo uma situação inusitada: meninas de 12 anos que usavam batom, todos os dias beijavam o espelho para remover o excesso de batom.
    O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as mesmas marcas de batom...
    Um dia o diretor juntou o bando de meninas no banheiro e explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam. Fez uma palestra de uma hora.
    No dia seguinte as marcas de batom no banheiro reapareceram...No outro dia, o diretor juntou o bando de meninas e o zelador no banheiro, e pediu ao zelador para demonstrar a dificuldade do trabalho. O zelador imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho.
Nunca mais apareceram marcas no espelho!


Moral da história:
Há professores e há educadores...Comunicar é sempre um desafio!
Às vezes, precisamos usar métodos diferentes para alcançar certos resultados.

Por quê?
Porque a bondade que nunca repreende não é bondade: é passividade.
Porque a paciência que nunca se esgota não é paciência: é subserviência.
Porque a serenidade que nunca se desmancha não é serenidade: é indiferença.
Porque a tolerância que nunca replica não é tolerância: é imbecilidade.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Maria Eugênia, uma intérprete ímpar




Uma pequena mostra de Maria Eugênia para os que não a conhecem. Eu a considero uma intéprete divina.
Iniciou a carreira de cantora popular na noite goiana,conquistou o Prêmio Tiokô de Música da União Brasileira de Escritores - UBE.GO (maior prêmio cultural do Estado de Goiás).É conhecida mundialmente.


 





quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Na verdade eu fico por conta ...


Na verdade eu fico por conta  do que anda acontecendo com a  "Nossa Língua Portuguesa" tão bela, com certeza!
Por conta de tantos com certeza e na verdade, eu gostaria de fazer um estudo sobre isso, mas por conta do pouco tempo que tenho, com certeza  não iria concluir nada sobre o porquê  das pessoas falarem tanto, na verdade, com certeza, por conta de.
Quem sabe é por conta de algum vírus linguístico que eu desconheço e que quando  pega, a  gente nem se dá conta! Com certeza isso é só uma hipóte, mas na verdade, nem investigando  eu vou descobrir mesmo,a verdadeira causa de tantos na verdade,com certeza e por conta de, na nossa língua portuguesa!
Pensando bem, deve ser  por conta da distração ou modismo! Talvez um "dito cujo" lá na mídia fala, o outro acha legal e repete, e daí ninguém segura mais, vira uma mania generalizada.
Prestem bem atenção como todo mundo está falando na verdade,com certeza, e por conta de, e com certeza  você vai ficar pasmado. Essas manias linguísticas surgem do nada, e nem sei por que  na verdade e com certeza atrapalham mais que ajudam? Mas haja paciência para aguentar tantos  na verdade, por conta de e  com certeza!

Agora falando sério, na verdade verdadeira e com certeza bem certa, por conta das minhas reflexões, cheguei a seguinte conclusão:  - que na verdade  ninguém tem certeza  de nada, muito menos eu, e com certeza quando vocês lerem este texto vão se dar conta de quanto alguns falam, na  verdade, com certeza e por conta de...
Mas foi por conta de tantas besteiras e modismos  que eu pude escrever mais um post!  Haja...!!!!
Related Posts with Thumbnails