Visitas on line

Tradutor:

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Informados ou manipulados, eis a questão!

´
Imagens do blog;muitasbocasnotrombone.blogspot.com
Num sermão ideal dos bem-informados, gostaria de que subíssemos a montanha da reflexão, para desenhar diante de nós as pessoas que queremos ser:

Bem-informados os que lêem todos os dias as páginas dos jornais, sabendo filtrar ideologias, polêmicas vazias e outras magias.
Bem-informados os que assistem à televisão todos os dias, selecionando os canais e os programas realmente informativos e educativos.

Bem-informados os que folheiam as revistas certas, escapando da fofoca, do boato, da ilusão, adquirindo verdadeiro conhecimento e entretenimento.


Bem-informados os que, informatizados, navegam na Internet, procurando os sites do saber e do lazer, numa verdadeira pesquisa e não por mera curiosidade.
Bem-informados os que participam de chats e listas de discussão virtuais, e transformam o superficial em encontro humano.
Bem-informados os que freqüentam o cinema (e as videolocadoras), e se deixam seduzir pelos efeitos especiais, sem esquecer o que é mais especial ainda: a imagem eloqüente.
Bem-informados os que amam o teatro, e interpretam o papel insubstituível daquele que se desoprima na catarse, na voz ao vivo, no corpo em chamas.
Bem-informados os que ouvem rádio, e se deliciam com as estações da boa musica, da entrevista bem feita, inteligente, da notícia objetiva, mas não acrítica.
Bem-informados os que vão aos museus e cortejam as musas que cantam nos quadros, sussurram nas esculturas e passeiam nas instalações.
 Bem-informados os que prestigiam a arte onde quer que a encontrem, no salão ou na salinha, na avenida ou na pracinha, e rendem seu culto a cada cintilação da beleza.
Bem-informados os que vêem na arquitetura contemporânea a inspiração dos antigos templos e o mistério das pirâmides.

Bem-informados os que lêem os livros capazes de, em suas asas, levar-nos para dentro de nós mesmos, sem desprezar o mundo.
Bem-informados os que lêem os livros novos, com a condição de que não sejam descartáveis.  
Bem-informados os que lêem os livros antigos, com a condição de que sejam renovadores.

Bem-informados os que lêem os livros de poemas, e dão à poesia um lugar de honra no mundo dos cálculos inescrupulosos.

Bem-informados os que lêem os livros que falam de outros livros, e, nessa busca dentro da busca, encontram o prazer de ler elevado à quinta potência.
Bem-informados os que têm sede e fome de verdade, e realmente a procuram nos caminhos e descaminhos da Idade Mídia.

Bem-informados seremos se soubermos, com critério e bom senso, exercitar a arte da palavra e da leitura, distinguindo para apreciar, e divulgando nosso amor à cultura sem perder o bom humor.
Jamais.
(trechos extraídos do livro A arte da palavra De Gabriel Perissé Editora Manole 1ª edição 2003 – São Paulo) 

4 comentários:

Ana Maria Braga disse...

oi, Lais, valeu pelo post. Procuro sempre estar bem informada. Bjs

Liliane de Paula disse...

Leio a VEJA religiosamente. E outros meios de comunicação. São tantas que fica dificil dar conta. Cabe a mim, fazer a seleção.

prof@ Roseli disse...

As coisas andam muito pouco interessantes mesmo...
Parece que vivemos no tempo da mediocridade...
É preciso procurar muito para ver e ouvir coisas inteligentes nos jornais, nas rádios na Tv...
As vezes penso que é chatice minha ...
Aí eu lembrei de um texto ...dentro do contexto:

Cântico Negro
José Régio
"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!"

Rosemary disse...

Oi Laís..
Como é com estar bem informado, mais melhor ainda e ter consciência de quando estamos sendo manipulados..não é???

Related Posts with Thumbnails